12/09/2012 16h19 – Atualizado em 12/09/2012 16h35

Peugeot confirma produção do jipinho 2008 no Brasil

Crossover baseado no 208 será fabricado na planta de Porto Real, no RJ.
Rival de EcoSport e Duster estreará durante o Salão de Paris.

Do G1, em São Paulo

Peugeot do Brasil confirmou nesta quarta-feira (12) a produção nacional do 2008, SUV compacto baseado na plataforma do 208. “As equipes de design da Peugeot situadas em Paris, Xangai e São Paulo criaram o 2008 Concept, que será fabricado o mais próximo possível de seus futuros clientes: na França (Mulhouse), em primeiro lugar, seguida por China (Wuhan) e, por fim, no Brasil, em Porto Real, no Rio de Janeiro”, afirma do comunicado da marca. A planta fluminense também será responsável pela produção do 208.

Peugeot 2008 (Foto: Divulgação)

Peugeot 2008 (Foto: Divulgação)

Rival direto de Ford EcoSport e Renault Duster, o Peugeot 2008 tem 4,14 metros de comprimento por 1,74 metro de largura, segundo a marca. A versão conceitual apresentada é equipada com um motor 1.2 litro, de 3 cilindros, dotado de turbo e injeção direta de combustível, que alcança 110 cv – a fabricante, no entanto, não confirma sua aplicação no 2008 nacional.

Peugeot 2008 (Foto: Divulgação)Peugeot 2008 (Foto: Divulgação)

O Peugeot 2008 já aparecera durante o Salão de Pequim, em abril, como Urban Crossover Concept. A estreia oficial será durante o Salão de Paris, de 29 de setembro a 14 de outubro.

Para ler mais notícias do AutoEsporte, clique em g1.globo.com/carros. Siga também oAutoEsporte no Facebook, no Twitter e por RSS.

Volkswagen Beetle ganha pacote R-Line

Apêndices estéticos dão mais esportividade ao modelo.
Estreia será durante o Salão de paris, no final do mês.

Do G1, em São Paulo

3 comentários

A 7ª geração do Golf será a principal atração da Volkswagen durante o Salão de Paris – 29 de setembro a 14 de outubro –, mas haverá espaço para outras novidades. Uma delas será o Beetle R-Line.

Volkswagen Beetle R-Line  (Foto: Divulgação)

Volkswagen Beetle R-Line (Foto: Divulgação)

Distante da esportividade do Beetle R – versão conceitual de 265 cv do compacto revelada no último Salão de Frankfurt –, o Beetle R-Line traz um apelo esportivo apenas visual: para-choques redesenhados, difusor traseiro e novas rodas de 18 ou 9 polegadas. Internamente, há soleiras nas portas e logotipo da série nos bancos e no volante, que tem a base achatada.

Volkswagen Beetle R-Line (Foto: Divulgação)Volkswagen Beetle R-Line (Foto: Divulgação)

O pacote R-Line está disponível para os modelos equipados com os motores 1.4 de 160 cv, 2.0 de 200 cv e 2.0 diesel de 140 cv. No Brasil, a linha R-Line está presente no cupê Passat CC e no SUVTouareg, lançado na última semana.

Volkswagen Beetle R-Line (Foto: Divulgação)Volkswagen Beetle R-Line (Foto: Divulgação)

Para ler mais notícias do AutoEsporte, clique em g1.globo.com/carros. Siga também oAutoEsporte no Facebook, no Twitter e por RSS.

08/10/2013 12h00 – Atualizado em 08/10/2013 19h41

Sucesso do passado, Honda CB 500 volta com nova geração ao Brasil

CB 500F, CBR 500R e CB 500X são opções de entrada para alta cilindrada.
Primeira a chegar, CB 500F vai de R$ 22 mil e a R$ 23,5 mil (com ABS).

Rafael MiottoDo G1, em São Paulo

228 comentários

Utilizando nome que fez sucesso no Brasil, a Honda lançou nesta terça-feira (8) a nova geração da CB 500 no país, em três versões. Assista ao lado a um vídeo exclusivo do G1 com os detalhes da “família” 500.

Com a estreia mundial no Salão de Milão 2012, CB 500F, CBR 500R e CB 500X, todas com ABS como opcional, são as principais atrações da empresa no Salão duas Rodas, no Anhembi, em São Paulo, que vai até o próximo domingo (13).

A primeira a chegar é a opção F, por R$ 22.000, na opção standard, e R$ 23.500, com ABS, que mantém a categoria naked e tem mais similaridade com a CB 500 vendida entre 1997 e 2004 no Brasil. No entanto, a moto é totalmente nova e abandonou o antigo farol redondo presenta na antiga CB.

Além disso, a CB 500 se tornou uma “família” e agora também conta com a esportiva CBR 500R, que começa a ser vendida até o final do ano, a CB 500X, versão com roupagem aventureira – suas vendas ficam apara o início de 2013. Ambas ainda não tiveram preços definidos.

Honda CB 500X (Foto: Caio Mattos / Divulgação)Honda CB 500X (Foto: Caio Mattos / Divulgação)

Com os três modelos, a Honda tem o objetivo de vender 20 mil unidades da CB 500 durante o 1º ano de comercialização da linha. A X é que traz mais expectativa para a empresa e deve representar 8 mil unidades/ano, enquanto F e R devem atingir 6.000 motos cada. Até 2016, a empresa pretende atingir 30 mil unidades/ano da linha.

Feita na Tailândia para abastecer o mundo, a CB 500 brasileira será produzida em Manaus, com a fabricação nacional de componentes como chassi e componentes plásticos, mas parte das peças ainda é importada da própria Tailândia e Japão – o motor chega com as peças desmontadas para ser montado no Brasil.

O modelo chega para preencher uma faixa de cilindrada abandonada no país desde o encerramento de produção da própria CB 500 e a Suzuki GS 500. “Desde 2005, o mercado se mostrou carente para este tipo de moto. Nosso objetivo é que a CB seja líder entre as naked”, explica Alfredo Guedes, supervisor de relações públicas da empresa.

Na época, a CB 500 deixou de ser vendida e a Honda lançou a Hornet no Brasil, modelo que se tornou líder do segmento, mas com uma proposta mais esportiva, com motor de quatro cilindros.

No Brasil, motor é mais forte
O lançamento mundial da família CB 500 teve o foco muito claro de atender novo sistema de habilitação para condutores na Europa, que criou nova categoria para motos a A2. Limitada a motos de até 35 kw de potência (48 cv) e que pode ser obtida a partir dos 18 anos, a iniciativa gerou a criação das novas 500 por parte da Honda.

Honda CB 500F (Foto: Caio Mattos / Divulgação)Honda CB 500F (Foto: Caio Mattos / Divulgação)

Como o Brasil não tem esta legislação, o país terá uma CB 500 mais forte. Aqui, o motor de dois cilindros e 471 cc de cilindrada gera 50,4 cavalos a 8.500 rpm, frente aos 48 cv na Europa. O torque também recebeu leve incremento, subindo de 4,38 kgfm a 4,55 kgfm a 7.000 rpm na versão brasileira.

“O motor segue a mesma base do da CBR 250R, mas com dois cilindros”, explica Alfredo Guedes. Desse modo, o propulsor é como um da CBR, mas duplicado, já que a pequena esportiva possui um monocilíndrico. O bicilíndrico conta com injeção eletrônica e refrigeração líquida.

Configuração moderna e simples
Com a ambição do modelo é de ser a porta de entrada para as motos mais potentes, seu conjunto é simples, mas traz alguns diferenciais, como o visual esportivo e painel digital.

A presença do freio ABS, como opcional, também é importante, porém, a empresa deixou de lado o sistema combinado, que reparte a frenagem entre os eixos, presente em outras motos da empresa, até de menor cilindrada, como a CBR 250R.

Painel da CB 500F  (Foto: Caio Mattos / Divulgação)Painel da CB 500F (Foto: Caio Mattos / Divulgação)

As três versões compartilham grande parte da base, mas trazem diferenças. A X tem suspensões mais longas e guidão mais alto, adequados a sua proposta “crossover”, enquanto a R possui semiguidões e carenagens, de acordo com suas pretensões esportivas.

O peso seco da F é de 180 kg e o tanque de combustível 15,7 litros, que roda com gasolina. Na dianteira, a CB 500F possui um garfo telescópico de 120 mm de curso, enquanto a traseira é monoamortecida por um sistema pró-link de 118 mm.

Com assento de 785 mm, a F tem 2.075 mm de comprimento, 780 mm de altura e 1.060 mm de altura – seu entre-eixos é de 1.410 mm. A 500R pesa 194 kg e a X 195 kg. O tanque de 15,7 litros é o mesmo para a CB 500F e CBR 500R. Na 500X, há mais espaço, chegando a 17,3 litros.

De acordo com a empresa, a autonomia da F pode chegar a 420 km, ao passo que a X tem condições de rodar 467 km com o tanque completo. Assim, indicando que o modelo pode ter média de consumo de 26,8 km/l a 27 km/l.

Honda CB 500F (Foto: Caio Mattos / Divulgação)Honda CB 500F (Foto: Caio Mattos / Divulgação)

História
Vendida de 1997 a 2004 no Brasil, a antiga geração da Honda CB 500 atingiu 21 unidades vendidas no país. Sua produção foi feita em Manaus e o modelo fez muito sucesso com seu motor de dois cilindros e 498,8 cc de cilindrada, que chegava a 54 cv a 9.500 rpm.

Com dois carburadores e refrigeração a ar, o modelo também tinha outras diferenças em relação ao novo modelo, como a suspensão traseira como duplo amortecedor. Os números mostram que a CB antiga era mais potente que a atual e o torque de ambas é o mesmo. No entanto, o novo modelo mostra a força máxima em giros mais baixos.

Compare a CB 500 da antiga geração com a nova:

18/09/2012 07h00 – Atualizado em 18/09/2012 07h00

Estudantes criam carro elétrico para o transporte de peças em montadora

Na fábrica da VW, no Paraná, estagiários fazem projetos usados na empresa.
Relação entre estudantes e empresas não é mais só para ‘carregar papel’.

Samuel NunesDo G1 PR

Comente agora
Tecnologia desenvolvida pelos estudantes é mais barata que a atual (Foto: Samuel Nunes/G1)Tecnologia desenvolvida pelos estudantes é mais barata que a atual (Foto: Samuel Nunes/G1)

Programas de estágio em grandes empresas atraem cada vez mais candidatos que buscam, além de uma oportunidade para entrar no mercado de trabalho, a chance de desenvolver as habilidades aprendidas nas salas de universidades. Na unidade da Volkswagen, em São José dos Pinhais, no Paraná, além de colocar em prática os conhecimentos acadêmicos, os estagiários desenvolvem projetos que, mais tarde, são usados pela montadora.

O caso mais recente de um projeto desenvolvido por estudantes é o do veículo auto guiado (AVG, na sigla em inglês), construído por estagiários da área de engenharia. O equipamento, que serve para carregar peças, por toda a linha de montagem, já era utilizado na empresa. Porém, os estagiários desenvolveram uma nova tecnologia que pode reduzir tanto os custos de instalação, quanto de manutenção do equipamento.

De acordo com o gerente de montagem, José Henrique Silva, o aparelho antigo causava um grande transtorno para ser instalado. “Era preciso fazer toda uma obra na fábrica, parar a linha de montagem e gerava altos custos”, explica. Segundo ele, o equipamento antigo funciona com uma chapa de metal, que é instalada ao longo do trajeto por onde o AVG passa. O carrinho possui um sensor que reconhece essa chapa e segue o caminho, como se fosse um trilho de trem.

O projeto dos estagiários elimina a necessidade de se instalar esse trilho. Conforme explica Ednilson Andolhe Filho, um dos estagiários que participou do desenvolvimento do AVG, a tecnologia que eles desenvolveram é capaz de identificar uma faixa pintada no chão da fábrica, utilizando qualquer tinta. Dessa forma, se for preciso alterar o trajeto, basta apagar a antiga e pintar uma nova.

Outra mudança em relação à tecnologia antiga é a melhora na eficiência energética do aparelho, que é elétrico e funciona a bateria. Os estagiários fizeram um programa que pode, à distância, monitorar a quantidade de carga disponível, usando mensagens de texto enviadas para computadores e celulares. “As baterias antigas podiam ser recarregadas até 80 vezes, com essa melhora energética, elas agora podem ser carregadas até 200 vezes”, diz Ednilson.

AVG atual necessita de obra civil para ser instalado (Foto: Samuel Nunes/G1)AVG atual necessita de obra civil para ser instalado
(Foto: Samuel Nunes/G1)

Estágio não é para carregar papel
A coordenadora do programa PUC Talentos, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Daniella Forster, explica que programas como o da Volkswagen são uma nova realidade no mercado. Para ela, a nova Lei de Estágios, em vigor desde 2008, mudou o relacionamento entre empresas e estudantes. “Tem diminuído bastante os relatos de estagiários que são contratados e acabam fazendo serviços administrativos, como cópias”, diz.

No caso da PUCPR, o programa coordenado pela professora Daniella não só ajuda os estudantes a conseguir vagas no mercado, como também os acompanha durante o período do contrato. “Existe todo um acompanhamento. A partir de um plano de estágio, é possível avaliar se as atividades desenvolvidas têm caráter pedagógico ou não”, explica.

Ednilson, que estuda engenharia ambiental, considera que o estágio que conseguiu foi importante para aplicar não só os conhecimentos específicos que estudou, mas também para conhecer outras áreas em que poderá atuar depois de formado. “Apesar de estudar a área ambiental, pude trabalhar com robótica, algo que nunca havia imaginado na minha carreira”, revela. Durante o projeto do AVG, o estudante foi selecionado como chefe do grupo que empreendeu a criação do carro.

A coordenadora de Recursos Humanos daVolkswagen, Luciana Partel, afirma que todo o processo para a criação do AVG, bem como das outras atividades dos estagiários, é acompanhado por técnicos da empresa. “O projeto foi deles [estagiários], mas todo o suporte técnico para colocá-lo em prática foi acompanhado pelos nossos técnicos”, diz.

O sucesso do programa de estágio é mostrado nos números de procura dos estudantes. No último processo de seleção, cujas inscrições se encerraram recentemente, mais de 28 mil universitários se candidataram para as 70 vagas disponíveis em todas as plantas fabris do Brasil. Ao todo, são 400 candidatos por vaga, sete vezes mais que o registrado no Vestibular 2012 da Fuvest, para o curso de Engenharia Civil, da Universidade de São Paulo (USP).

Conforme a professora Daniella, as empresas também têm ido às universidades para buscar novos talentos. Ao longo do ano, diversos eventos são organizados pela PUC-PR, com o objetivo de abrir as portas acadêmicas às empresas. Nesses eventos, as empresas montam estandes, mostram as oportunidades e acabam atraindo os profissionais. “No nosso último evento, realizado em agosto, a Volkswagen foi uma das empresas que estiveram presentes”, conta.

Acho que o mercado busca por profissionais que possam atuar de várias maneiras dentro das empresas.”
Ednilson Andolhe Filho, estudante de Engenharia Ambiental

Retorno mútuo
Todos os lados envolvidos no processo – estudante, empresa e universidade – relatam que o retorno que obtêm na relação de estágio é positivo. Luciana conta que há muitos casos de estudantes que trazem da academia conhecimentos que, muitas vezes, melhoram os processos internos. “Às vezes, o funcionário está acostumado a fazer o serviço de um jeito e o estagiário sugere uma forma nova, que pode ser melhor que a antiga. Quando isso acontece, melhora a qualidade do trabalho”, diz.

Já a coordenadora da PUCPR considera que o retorno para a universidade vem de duas formas. “Há uma melhora no rendimento dos alunos. Além disso, tem uma troca de conhecimentos que eles levam da empresa para a academia”, pontua Daniella.

Ednilson avalia que, no lado do futuro profissional, a oportunidade de adquirir mais conhecimentos é o que mais atrai os estudantes. “Acho que o mercado busca por profissionais que possam atuar de várias maneiras dentro das empresas”, avalia.

BMW anuncia estreia no segmento de scooters no Brasil

C 600 Sport chega ao país no início de 2014.
F 800 GS Adventure custará R$ 47.900, a partir de novembro.

Rodrigo MoraDo G1, em São Paulo

A BMW apresentou nesta terça-feira (8) o C 600 Sport, modelo que marca a estreia da empresa no segmento de scooters no Brasil. De acordo com a fabricante, o C 600 chega ao mercado brasileiro no início de 2014. O lançamento ocorreu na abertura do Salão Duas Rodas, no Anhembi, em São Paulo.

“Tem a potência de uma motocicleta e a utilidade de um scooter”, diz Federico Alvarez, diretor da BMW Motorrad, a divisão de motos da montadora; assista, no vídeo ao lado.

Alvarez diz que, no entanto, as vendas serão limitadas. “Infelizmente, não haverá maxiscooter para todo o público.”

O C600 Sport tem 60 cavalos de potência a 7.500 rpm e alcança 175 km/h. De série, o Maxiscooter vem com freios ABS e lanterna em LED.

Ele pesa 249 kg em ordem de marcha. O preço ainda não foi divulgado pela montadora.

Além do scooter, a BMW também anunciou a chegada da F 800 GS Adventure, versão mais radical da F 800 GS. O modelo chega em novembro por R$ 47.900.

BMW F 800 GS (Foto: Raul Zito/G1)BMW F 800 GS (Foto: Raul Zito/G1)
BMW C 600 Sport (Foto: Caio Kenji/G1)BMW C 600 Sport (Foto: Caio Kenji/G1)

18/09/2012 17h38 – Atualizado em 18/09/2012 17h38

Volkswagen Canyon estreia na Alemanha

Picape traz visual diferenciado e nova cor.
Salão de Hannover traz novidades entre veículos comerciais.

Do G1, em São Paulo

2 comentários

A Volkswagen apresentou nesta terça-feira (18), durante o Salão de Veículos Comerciais de Hannover, na Alemanha, a Amarok Canyon, série especial da picape que apela para apêndices estéticos para se diferenciar.

Volkswagen Amarok Canyon (Foto: Divulgação)Volkswagen Amarok Canyon (Foto: Divulgação)

Externamente, destacam-se os faróis de neblina adicionais no teto, os estribos laterais, o protetor lateral da caçamba e os para-choques pintados em preto. A série também é identificada pelos emblemas estampados na carroceria, pelas novas rodas (aro 17) e uma paleta de cores que inclui a laranja das fotos.

Volkswagen Amarok Canyon (Foto: Divulgação)Volkswagen Amarok Canyon (Foto: Divulgação)

Na parte interior as novidades são os bancos bicolores, as saídas de ar com aro vermelho e costuras dos bancos e da alavanca do câmbio também em vermelho.

Volkswagen Amarok Canyon (Foto: Divulgação)Volkswagen Amarok Canyon (Foto: Divulgação)

A Amarok Canyon vem equipada com o mesmo motor das demais versões, o 2.0 TDI (turbodiesel) de até 180 cv, acoplado a uma transmissão manual de seis marchas. A chegada da picape ao mercado europeu é prevista para o início do ano que vem.

12/01/2012 06h57 – Atualizado em 19/01/2012 14h00

Confira 50 carros esperados para o Brasil neste ano

Apesar de crise europeia e do IPI, há dezenas de lançamentos previstos.
Entre os destaques estão Chevrolet S10, Porsche 911 e Ford Fusion.

Do G1, em São Paulo

46 comentários

A crise na Europa ou a recente alta na alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), aparentemente, não mudaram os planos das montadoras de trazer dezenas de novos modelos para o Brasil neste ano – assim como ocorreu em 2011. Produtos nacionais e importados abrirão o leque de opções para os consumidores, que já contam com uma vasta oferta de modelos, configurações, níveis de conforto e potência. Abaixo, veja 52 carros esperados.

Carros novos esperados para 2012
Audi
Audi A1 Sportback (Foto: Divulgação)
A1 Sportback
Mantendo as mesmas medidas de comprimento e entre-eixos, a Audi conseguiu encaixar mais duas portas no A1, agregando praticidade ao modelo. Os motores serão mantidos – no caso do Brasil, o 1.4 TFSI, de 122 cv.
Audi A4 (Foto: Divulgação)
A4
Modelo mais vendido da marca, o sedã seguiu a receita visual já aplicada nos modelos A1, A6 e Q3, que ostentam uma grade trapezoidal e novos faróis. Há também retoques no interior e na traseira, em proporções menores, além de evoluções na motorização.
Audi A5 (Foto: Divulgação)
A5
Pouco visto no Brasil, o A5 terá, assim como o A4, novo visual. Destaque para a disponibilidade, em toda gama, de motores com injeção direta de combustível e sistema de regeneração de energia.
Audi A6 Avant (Foto: Divulgação)
A6 Avant
Chega em fevereiro o station wagon de luxo, que está com o visual renovado. Entre os itens de conforto está um dispositivo que abre a tampa do porta-malas automaticamente se uma pessoa erguer o pé em direção aos sensores instalados na parte traseira inferior do carro.
Audi Q3 (Foto: Divulgação)
Q3
No que depender da Audi, Land RoverRange Rover Evoque e BMW X1 não terão vida fácil. Isso porque o crossover alemão, que é produzido na Espanha, chegará no final do 1º trimestre com equipamentos exclusivos e preços partindo de aproximadamente R$ 150.000.
Audi TT RS (Foto: Divulgação)
TT RS
As versões Coupé e Roadster desembarcam em fevereiro. O modelo era para ter chegado em outubro de 2011. Ele consegue ser uma leitura ainda mais esportiva do modelo TT, consagrado pelo design inovador. Em tecnologia, o TT RS se destaca pela leveza.
BMW
BMW Série 1 (Foto: Priscila Dal Poggetto/G1)
Série 1
Apresentada no último Salão de Frankfurt, em setembro, a segunda geração do hatch tem como principais atrações o visual renovado e o novo motor 1.6 turbo, com configurações que podem chegar aos 170 cavalos de potência.
BMW Série 3 (Foto: Divulgação)
Série 3
Outro importante lançamento da marca bávara para 2012 é a sexta geração do seu mais tradicional sedã. As versões 328i e 335i chegam em maio, por preços a partir de R$ 198 mil e R$ 341 mil, respectivamente.
BMW M5 (Foto: Divulgação)
M5
Com motor 4.4 V8 biturbo de 567 cv, que aposenta o V10 do antigo modelo, fará potenciais compradores de Audi S6 e Mercedes-Benz E63 AMG pensarem duas vezes.
Chevrolet
Cruze Hatch (Foto: Divulgação)
Cruze hatch
Assim como o Cruze aposentou o Vectra, sua versão hatch substituirá o Vectra GT ainda no primeiro trimestre de 2012. Em relação ao protótipo apresentado no último Salão de Paris, em 2010, o Cruze de produção pouco mudou.
Chevrolet S10 (Foto: Gabriel Mathias Lopes/VC no AutoEsporte)
S10
Um dos principais lançamentos daChevrolet neste ano, a nova S10 será grande avanço em relação ao atual modelo. Baseada no conceito Colorado, a picape tem exterior e interior totalmente renovados, mas deve manter os atuais motores 2.4 a gasolina e 2.8 a diesel. Na foto ao lado, enviada pelo internauta
Gabriel Mathias Lopes ao VC no AutoEsporte, ela é vista quase sem camuflagem em São Paulo.
Chevrolet Cobalt (Foto: Divulgação)
Cobalt Automático
Anunciado durante o lançamento do Cobalt 1.4, o modelo trará o mesmo conjunto do Cruze — transmissão de seis velocidades e motor 1.8.
Chevrolet Sonic (Foto: Priscila Dal Poggetto/G1)
Sonic
A efervescente categoria dos hatches Premium, hoje representada por Ford New Fiesta, VW Polo e Fiat Punto, ganhará mais um interessante competidor. Importado do México, o Sonic já roda pelo Brasil praticamente pronto.
Chrysler
Chrysler 300 (Foto: Divulgação)
300
Fora do catálogo da marca há meses, o sedã voltará reestilizado e com novos motores, mais potentes e econômicos.
Citroën
Citroën C3 (Foto: Divulgação)
C3
Também já rodando em testes pelo país, o compacto usa a mesa plataforma do C3 Picasso, modelo no qual a marca francesa atualmente concentra seus esforços. O visual será totalmente diferente, ao contrário da motorização.
Citroën DS3 (Foto: Divulgação)
DS3
Confirmada no Brasil há tempos pela Citroën, a família DS, finalmente, desembarcará por aqui. A gama de luxo da marca francesa estreará no país com o DS3, irmão menor dos modelos DS4 e DS5. Os outros carros da linha também estão previstos para o mercado brasileiro.
Dodge
Dodge Durango (Foto: Divulgação)
Durango
Versão mais urbana do Jeep Cherokee, com quem divide plataforma, o SUV é uma das apostas da Chrysler no Brasil, que neste ano retomará uma oferta mais ampla de modelos. 
Fiat
Fiat Siena (Foto: Solane Terezinha de Araújo/VC no G1)
Siena
Apesar de ter personalidade própria em termos visuais, tomará emprestado a plataforma do recém-lançado Palio. Na foto ao lado, enviada pela internauta Solane Terezinha de Araújo ao VC no AutoEsporte, o carro foi visto disfarçado em uma rodovia de Betim (MG), em dezembro.
Fiat Punto 2012 (Foto: Divulgação)
Punto
Com a chegada de rivais como Ford New Fiesta e Chevrolet Sonic, o Fiat Punto precisa mudar, já que é praticamente o mesmo desde 2007, quando foi lançado por aqui.
Ford
Nova EcoSport (Foto: Divulgação)
EcoSport:
Se a primeira geração do EcoSport foi uma revolução no mercado, a segunda promete ser uma revolução em termos técnicos e visuais. Desenvolvido pela Ford do Brasil, será um produto global.
Ford Edge 2012 (Foto: Divulgação)
Edge
Apresentado no final de 2011, chega agora às lojas. Opção de tração dianteira, mais barata, e sistema SYNC em português são as principais novidades.
Ford Fusion 2013 (Foto: Rodrigo Mora/G1)
Fusion
A Ford confirmou no Salão de Detroit a nova geração do sedã Ford Fusion para o Brasil, com motor EcoBoost 2.0 a gasolina. A versão híbrida do modelo também está prevista, mas a “plug in”, não. O sedã chega no segundo semestre.
Nova Ranger (Foto: Divulgação)
Ranger
Mais um produto global da Ford vendido no Brasil, a nova picape é uma transformação completa em relação ao antigo modelo. Ela será fabricada na Argentina.
Honda
Honda Civic 2012 (Foto: Rodrigo Mora/G1)
Civic
A nona geração do modelo, revelada em 2011, ganhou equipamentos para retomar a liderança entre os sedãs médios, posto hoje ocupado pelo Toyota Corolla. Deve chegar às lojas nos próximos dias.
Honda CR-V (Foto: Divulgação)
CR-V
Uma sensível reestilização exterior e mudanças discretas no interior pretendem deixar o CR-V mais ousado, para retomar o ritmo de vendas e restaurar a imagem da marca no Brasil e no mundo.
Hyundai
Hyundai HB (Foto: Divulgação)

 

HB
Desenvolvido para o mercado brasileiro, o futuro compacto da marca – que por enquanto atende pelo nome do seu projeto – promete estabelecer novos padrões entre os carros de entrada no Brasil.
Hyundai i30 (Foto: Priscila Dal Poggetto/G1)
i30
Fenômeno de vendas, o i30 deve atrair ainda mais fãs com visual ousado e motor 1.6 de injeção direta de combustível. O carro renovado foi uma das atrações do Salão de Frankfurt no ano passado.
 JAC
JAC J2 (Foto: Divulgação)
J2
A marca chinesa ampliará a participação no mercado com o J2, provável modelo que produzirá na Bahia, a partir de 2014.

 

JAC J5 (Foto: Danutta Rodrigues/G1)
J5
Rodando em testes há tempos no país, o sedã deverá ter participação discreta no segmento mais disputado de 2012, embora aposte na relação custo/benefício. Seu motor é um 1.5, com 125 cv. 
Jaguar
Jaguar XKR-S (Foto: Divulgação)
XKR-S
A versão esportiva do XKR conta com motor 5.0 V8 Supercharged, de 550 cv. Sem preço definido ainda, terá Porsche 911 e Audi R8 como principais rivais.
Jeep
Jeep Compass  (Foto: Divulgação)
Compass
A nova fase da Chrysler no Brasil passa, inevitavelmente, por um modelo mais barato. E ele é o Compass, que chega às concessionárias da marca nas próximas semanas, por cerca de R$ 95 mil.

Kia Motors
Kia Optima (Foto: Priscila Dal Poggetto/G1)
Optima
Era para ter chegado em 2011, mas o luxuoso Optima está mais do que confirmado para este ano no Brasil. Deve chegar na primeira semana de abril. A nova geração do antigo Magentis deverá dar dor de cabeça aos concorrentes Ford Fusion e Hyundai Azera.
kia sportage (Foto: Divulgação)

 

Sportage Flex
A versão com motor bicombustível do SUV chega em fevereiro. O modelo foi o quinto modelo mais vendido pela Kia em 2011, com o total de 8.379 unidades.
Mercedes-Benz
Mercedes-Benz SLS AMG Roadster (Foto: Rodrigo Mora/G1)
SLS AMG Roadster
Trata-se da versão conversível do extravagante cupê com porta de “asas de gaivota”. O motor 6.3 V8, de 571 cv é o mesmo. Já o preço, não: US$ 515 mil, contra US$ 490 mil do cupê.
Mercedes-Benz ML (Foto: Divulgação)
ML
Reestilização externa e interna e novos motores – a versão conta com um 5.5 V8 de até 557 cv – são as principais novidades na terceira geração do SUV.
Mercedes-Benz Classe B (Foto: Divulgação)
Classe B
Há tempos a minivan pedia novidades e a melhor notícia é o novo motor 1.6 turbo, que aposenta o pacato 1.7 16V aspirado.
Mini
Mini Cooper Roadster (Foto: Divulgação)

 

Cooper Roadster
O carro é primeiro conversível de 2 lugares da marca. Com capota de lona que abre e fehca eletronicamente, o modelo será vendido por aqui com motor 1.6 turbo de 184 cv e câmbio automático de seis velocidades. O modelo deve ser lançado em fevereiro.
Peugeot
Peugeot 308 (Foto: Divulgação)
308
Produto interessante há algum tempo sem brilho, o 307 terá um sucessor que promete colocar a marca de volta ao topo na categoria. O 308 vem com a nova geração de motores 1.6 de 16 válvulas flex, que promete a maior potência da categoria, com 122 cavalos a 6.000 rpm. O propulsor dispensa o ‘tanquinho de gasolina’ para a partida a frio.
Peugeot 408 (Foto: Flavio Moraes/G1)
408 THP
Ele era previsto para 2011, mas o sedã ganhará só neste ano motor 1.6 de 156 cv e câmbio automático de seis marchas – o mesmo conjunto do crossover 3008.
Porsche
Porsche 911 (Foto: Reuters)
911
A sétima geração do lendário esportivo estreou no Salão de Frankfurt, em setembro, com retoques visuais discretos e novos motores 3.4 (350 cv) e 3.8 (400 cv).
Renault
Renault Fluence (Foto: Divulgação)
Fluence Turbo
A montadora francesa prepara uma versão do sedã com motor exclusiva para o Mercosul. O propulsor 2.0 promete desenvolver 180 cavalos de potência.
Renault Clio (Foto: Divulgação)
Clio
O compacto (visto aqui na versão atual na foto ao lado) sofrerá uma sensível reestilização, sem alterações profundas. Enquanto isso, na Europa, ele sai de linha.
Toyota
Hilux 2012 (Foto: Divulgação)

 

Hilux Flex
A picape foi reestilizada recentemente, mas a maior novidade ficou reservada para este ano: o motor 2.7, que atualmente bebe só gasolina e rende 158 cv, passará a ser flex. Com etanol, sua potência saltará para 163 cv.
Toyota Etios (Foto: Arquivo/AP)
Etios
A produção do compacto é prometida para começar no segundo semestre, na planta que a Toyota ergue em Sorocaba, no interior de São Paulo.
Toyota Camry (Foto: Divulgação)
Camry
Com vendas em baixa, o sedã terá sua sétima geração lançada por aqui já no 1º trimestre. Visual renovado e motor mais eficiente são as novidades da versão reestilizada em agosto passado.
Toyota Prius (Foto: Luciana de Oliveira/G1)
Prius
O híbrido mais famoso do mundo já roda no Brasil, ainda na versão anterior, numa ação de marketing da empresa. O lançamento comercial será apenas no final do 1º semestre, porque a montadora negocia incentivos com o governo.
Volkswagen
VW Gol (Foto: Divulgação)
Gol, Voyage e Saveiro
Os compactos de entrada vão incorporar a nova identidade visual da marca, encontrada em toda linha de importados (exceto o CC, que também será reestilizado neste ano), além deFox e Jetta. O visual ainda é segredo(na foto ao lado, o Gol Rock In Rio, série lançada em 2011)
VW Amarok cabine simples (Foto: Divulgação)

 

Amarok cabine simples
Revelada no final de dezembro, a versão cabine simples chega só este ano às concessionárias. Outra oferta inédita na linha será o tão esperado câmbio automático.
VW Beetle (Foto: Divulgação)
Beetle
O “besouro” (que perdeu o “New” no nome) ficou mais largo, baixo e comprido em relação ao antigo modelo. Seu desenho também está mais esportivo, mirando atrair também o público masculino. A versão destinada ao Brasil deverá trazer motor 2.0 turbo.