TORÇA! O MERCEDES CLA PODE SER NOSSO

Meio sedã, meio cupê, novidade da marca alemã é forte candidato a ganhar produção no Brasil. Veja como anda o modelo que chega em 2014

por RENATA VIANA DE CARVALHO, DE MARSELHA

A-A+
23/03/2013 09h11 – atualizado às 09h11 em 23/03/2013
Mercedes-Benz CLA chega ao país até o começo de 2014 (Foto: Divulgação)

MERCEDES-BENZ CLA CHEGA AO PAÍS ATÉ O COMEÇO DE 2014 – E PODE GANHAR PRODUÇÃO NACIONAL

A Mercedes tem apostado tudo no rejuvenescimento de sua imagem. E não, apenas, porque está em busca de consumidores novos (leia-se, jovens). Mas porque precisa de novos consumidores (jovens ou não) – ela foi a marca premium que menos cresceu e vendeu globalmente em 2012 na comparação com Audi e BMW. O CLA é peça fundamental nessa fase de renovação e chega cheio de responsabilidade como o representante sedã da plataforma NGCC (New Generation of Compact Cars), a mesma usada por Classe A e B, pelo futuro crossover GLA e por um quinto modelo ainda não revelado. Ele está pronto para encarar essa tarefa? É o que você vai descobrir agora.

Autoesporte teve um rápido contato com o CLA 250 no caminho que leva de Cassis a Marselha, na França. Logo de cara, uma serra pôs à prova o comportamento do sedã. As pistas estreitas (são para dois carros em sentidos opostos, mesmo?) terminavam em curvas fechadas e com “áreas de escape” que davam para penhascos desprotegidos de guard rails. Então, dá-lhe reduzir a velocidade para contornar os cotovelos.

Em todos os momentos o CLA esteve à mão, sem escapadas. A suspensão, que transmite sensação de conforto extra, poderia deixar temerosos os motoristas mais incautos. Mas garantiu a firmeza necessária com a configuração McPherson na dianteira e seus braços múltiplos na traseira. Só faltou a direção eletromecânica transmitir mais emoção.

Mercedes-Benz CLA (Foto: Divulgação)MERCEDES ESPERA QUE O CLA REPITA O SUCESSO DO CLS E AJUDE A ATINGIR NOVOS PÚBLICOS (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Os intervalos entre as curvas eram a oportunidade para acelerar. E nisso, o motor 2.0 turbo de 211 cv deu sua contribuição. O torque de 35,7 kgfm disponível desde 1.200 rpm auxilia na rapidez das respostas. Se o pé baixa mais, a redução de marcha vem acompanhada de 13 cavalos extras durante o kickdown. E antes que o próximo trecho sinuoso chegasse, os freios interrompiam com eficiência o movimento do carro. Para acompanhar a toada, o câmbiopoderia ter um funcionamento mais acertado. Mas é possível garantir que ele atue de modo mais previsível recorrendo às borboletas atrás do volante.

O interior do CLA segue o padrão do Classe B, com bom nível de acabamento, que recebe tratamento galvanizado na cor prata escurecida. Os bancos são inteiriços e trazem revestimento de veludo na parte central, além de costuras vermelhas – o tom muda segundo a opção de acabamento escolhida. Por falar em cor, também é possível iluminar o ambiente a partir de cabos de fibra ótica opcionais. Para motorista e carona há boa acomodação. Mas o espaço é limitado para quem vai no banco de trás.

A Mercedes coloca à disposição uma série de sistemas de assistência ao motorista. O pacote “Brasil” não está fechado. Mas no mercado europeu, o CLA recebe de série o sistema “está na hora do café”, também conhecido como Attention Assist, que detecta sinais de sonolência e sugere que o motorista dê uma parada. Há, ainda, o Collision Prevention Assist, que, agora, atua a partir de 7 km/h (antes, operava a partir de 30 km/h). Quando combinado ao Distronic Plus, para o carro automaticamente caso o condutor não faça nada para prevenir a colisão. Ele pode frear sozinho em velocidades de até 200 km/h.

Mercedes-Benz CLA (Foto: Divulgação)COM ACABAMENTO DE PRIMEIRA, CLA PODE TER DETALHES, COMO A COSTURA EM COR DIFERENTE, DE ACORDO COM A ESCOLHA DO COMPRADOR (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Made in Brazil

Que o CLA será vendido aqui, já está certo. Pode aguardá-lo no primeiro semestre de 2014. Mas o sedã também é cotado para ganhar produção nacional – ele, o futuro utilitário compacto GLA e o Classe C, modelo mais vendido pela marca no país.

Hoje a Mercedes monta caminhões em Juiz de Fora (MG). Na teoria, há espaço também para a produção de carros. Mas a unidade é uma das mais modernas do mundo na área e há planos de longo prazo para os veículos pesados feitos lá. A produção na futura fábrica da Nissan, em Resende (RJ), é uma alternativa. Mas fontes ligadas à Mercedes dizem que essa não deve ser a opção. No futuro, quando houver uma plataforma compartilhada pelos grupos parceiros, quem sabe. Assim, o mais provável é a construção de uma nova unidade.

A definição da fábrica pode mudar muita coisa no posicionamento não só do CLA mas de toda a linha, já que resultaria em uma boa redução de preços. Enquanto a confirmação não vem, pode considerar R$ 120 mil um valor bem factível para o modelo. Um preço que talvez a juventude não possa pagar para ter um Mercedes na garagem. Por isso, a torcida para que ele seja “nosso” é ainda mais válida.

Mercedes-Benz CLA (Foto: Divulgação)MERCEDES-BENZ CLA (FOTO: DIVULGAÇÃO)
Anúncios