PSA FAZ APOSTA EM CARRO MOVIDO A AR

Publicado em 18-10-13 às 18h48 por Car and Driver COMENTE!

0

Sistema Hybrid Air é único, mas ainda está em testes e longe da realidade

4

Por Carlos Guimarães // Fotos: Divulgação

A PSA (PeugeotCitroën) apresenta à imprensa nacional o sistema Hybrid Air, inclusive com a presença do chefe do projeto que veio da França, Karim Mokaddem. Também esteve no evento o Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento e Estilo da PSA,François Sigot. Os dois executivos explicaram alguns detalhes da novidade que ainda está sendo testada, mas que poderá ser uma alternativa interessante e mais em conta (metade do custo, de acordo com a PSA) aos híbridos tradicionais equipados com motores a combustão em conjunto com outros elétricos.

No novo prédio do departamento de engenharia daPSA foi mostrado um protótipo do hatch compacto C3com o sistema Hybrid Air em corte.  O carro estava equipado com motor 1.2, a gasolina, de três cilindros, acoplado ao câmbio automático cujos detalhes foram mantidos em sigilo (sabe-se apenas que não é do tipo CVT ou com conversor de torque). De acordo com aPSA, o modelo pode funcionar de três maneiras. Na primeira delas, apenas com o motor a gasolina funcionando com a nova caixa de marchas que proporciona uma economia de até 5% em relação a uma versão correspondente com câmbio manual.

No segundo modo de funcionamento, entra em ação o sistema Hybrid Air, em baixa velocidade (até 70 km/h), principalmente no trânsito pesado do dia a dia. Com nitrogênio armazenado em um cilindro no meio do carro, um sistema composto por dois motores-bombas hidráulicas de 34 kw (46,2 cv) e um conjunto de engrenagens epicicloidais, consegue-se em carros compactos e médios um consumo baixo (cerca de 34 km/l), ou 45% menor que um modelo equivalente apenas com motor a gasolina, de acordo com a fabricante.  E no último modo de funcionar, o mecanismo com ar comprimido contribui em acelerações e retomadas quando necessário.

Uma central eletrônica gerencia o sistema para obter o melhor rendimento possível em função de cada situação. A passagem entre os três modos disponíveis ocorre de maneira totalmente transparente ao condutor. O reservatório de nitrogênio pode ser recarregado de dois modos. Nas desacelerações (ao frear ou tirar o pé do acelerador), a redução da velocidade não é obtida pela aplicação das pastilhas nos discos de freio, mas pela resistência à compressão deo ar nesse acumulador. A outra alternativa consiste em fazer a recarga por meio da religação do motor a combustão – nessa situação, uma parte da energia produzida pela gasolina é utilizada para comprimir o ar. Em ambos os casos, a capacidade energética máxima do reservatório de nitrogênio é atingida rapidamente, em apenas dez segundos.

O chefe do projeto, Karim Mokaddem, contou que outra grande vantagem do sistema é que não há baterias, que pesam e roubam espaço interno, pricipalmente do porta-malas, além de precisarem de troca de tempos em tempos.  Mas para que o Hybrid Air se torne realidade é preciso ainda incluir alguns aperfeiçoamentos nos componentes hidráulicos. Também será preciso haver um grande investimento para implantá-lo, além de alto volume para que se torne competitivo. Entretanto, o sistema é bem interessante para a América Latina, onde o mercado é repleto de carros pequenos e médios e a questão dos custos pesam bastante para os consumidores. Veja abaixo o vídeo que mostra o funcionamento do sistema da PSA.

Anúncios