AVALIAMOS O QUERIDINHO DA LAND ROVER

Publicado em 12-10-13 às 11h08 por Car and Driver COMENTE!

0

Acelerar o Evoque causa uma série de sensações, todas bem diferentes

9

Range Rover Evoque

Por Nicolas Tavares (texto e fotos)

Land Rover bate recorde de vendas mensais em setembro graças ao Range Rover Evoque. O SUV compacto lançado em 2011 contribui com o sucesso da marca desde sua estreia e, nos nove meses de 2013, foi responsável por melhorar os resultados da fabricante em 30%.  Portanto, resolvemos dar mais uma volta nesse SUV bom de loja,  agora na versão  Dynamic Tech Pack, de R$ 250 mil.

Range Rover Evoque

Evoque é cativante. Ele quer mexer com você logo de cara, com suas linhas arrojadas. Desde que foi apresentado em 2011, como o conceito LXR, o Evoquechama atenção não só pelo belo desenho, mas por seu um marco de mudança de estilo dos modelos Land Rover. Os utilitários quadriculares deram espaço a um SUV que é mais semelhante a um cupê. A frente tornou-se tão icônica que o novo Range Rover Sport e o próximo Freelander serão mais semelhantes ao utilitário-cupê.

Com o novo design, o Evoque não é qualquer carro nas ruas. Sempre haverá alguém que vai virar o pescoço parar dar uma olhada mais longa, apesar do SUV já ter se tornado comum nas principais capitais do País. Estamos falando de um carro que vendeu 9.648 unidades desde o lançamento no Brasil, em novembro de 2011.

Range Rover Evoque

Por dentro, o acabamento é impecável. Há revestimento de couro não apenas nos bancos, mas também na parte de cima do painel. Além disso, a versão avaliada tinhateto solar panorâmico e sistema multimídia com o Dual View. Com ele, você pode continuar dirigindo e prestando atenção no navegador, enquanto o passageiro ao lado pode assistir a um filme usando  fones infravermelhos que acompanham o carro, sem que a tela de oito polegadas fique com a imagem dividida. Os bancos tradicionais trazem uma tela nas costas, para os que vão nos bancos de trás – o equipamento não pode ser instalado nos bancos concha.

Ficha EvoqueO motor 2.0 turbo, de 240 cv ,ronca forte o suficiente para levar o Evoque de 0 a 100 km/h em 8 segundos, de acordo com a fabricante, que ainda diz que o carro  atinge 217 km/h. Como o motor também entrega  34,7 mkgf de torque na faixa de 1.900 a 3.500 rpm, fica fácil fazer ultrapassagens no dia a dia com segurança, o que é vantajoso principalmente na estrada, onde é preciso bom fôlego para despachar veículos mais lentos.

Range Rover Evoque

O apelo espotivo do Evoque é evidente e tração integral é obrigatória, mas a graça está no Terrain Response, sistema que adapta tração, motor, suspensão e torque com cada tipo de terreno. Mesmo as ruas esburacadas de São Paulo não incomodaram tanto assim. E ele ainda encarou o Rali Dakar deste ano.

Porém, o câmbio automático F21 de seis marchas poderia ser mais rápidp nas trocas e o motorista acaba tendo que recorrer a um “kick-down” (provocar uma redução de marcha pisando fundo no acelerador) ou fazer as trocas manualmente pelas hastes atrás do volante. Torcemos para que o modelo 2014, com câmbio ZF de nove marchas venha com um acerto melhor.

A não ser que não esteja ligando muito para o consumo, evite usar o modo Sport do câmbio automático. Mesmo fora dele o carro já bebe bastante, fazendo uma média de 6,2 km/l na cidade e 10,9 km/l na estrada.

Range Rover Evoque

Se não tivesse cinco câmeras (uma de ré), manobrar o Evoque em espaços apertados seria um pesadelo. Ponto negativo por travar a função de mudar a imagem das câmeras se o carro estiver em movimento. Além disso, não é possível mexer na rota do navegador com o veículo andando. Tudo bem que é para impedir distrações, mas se tiver uma pessoa no banco do passageiro ajustando o GPS?

De qualquer forma, o carro tem mais qualidades que defeitos e vai receber melhorias. Na Europa, a linha 2014 vem com câmbio de 9 marchas e suspensão mais bem ajustada – ainda sem previsão de chegar ao Brasil. No ano que vem, também será lançada a versão conversível há muito prometida pela marca.

 

Anúncios