14/03/2013 09h29 – Atualizado em 14/03/2013 09h29

Nissan desenvolve aço mais leve que ajuda na economia de combustível

Primeiro modelo a receber nova liga será o sedã de luxo Infiniti Q50.
Já os veículos da marca Nissan vão adotar o material a partir de 2017.

 

 

Infiniti Q50 será um dos modelos vendidos no Brasil (Foto: Luciana de Oliveira/G1)Infiniti Q50 será vendido no Brasil e terá a nova liga
(Foto: Luciana de Oliveira/G1)

Nissan começa a adotar uma nova liga metálica em seus veículos. A montadora japonesa anunciou, nesta quarta-feira (13), que o “Advanced High Tensile Strength Steel” (aço avançado de alta resistência), conhecido como AHSS, foi desenvolvido dentro da estratégia de buscar a redução do peso de seus modelos e melhorar os níveis de consumo de combustível. A Nissan estima que a novidade irá diminuir em até 17% o peso final dos veículos.

O primeiro modelo a receber esse aço de alta resistência será o sedã esportivo de luxo Infiniti Q50, lançado este ano em Detroit e que será vendido no Brasil a partir do fim de 2014. Os veículos Nissan começam a ser produzidos com a inovadora liga metálica a partir de 2017.

O AHSS é um aço avançado ultra resistente, de 1,2 GPa (Gigapascal – unidade padrão de medição da resistência à tensão), com alta capacidade de moldagem. Foi desenvolvido pela Nissan em parceria com a Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation e a Kobe Steel, Ltd., e traz como principais diferenciais o alto índice de elasticidade e maiores resistência e maleabilidade.

A Nissan estima que a novidade irá diminuir em até 17% o peso final dos veículos.

Essas características permitem que ele seja utilizado na produção de componentes com formatos complexos, algo difícil de ser realizado até então, principal motivo para sua criação. A Nissan se tornará assim a primeira fabricante de automóveis a utilizar em larga escala esse tipo de aço na produção de partes estruturais.

O novo aço não requer alterações nas linhas produções já existentes e representa significativa redução na quantidade de material utilizado para a fabricação de um veículo. Assim, haverá também redução no custo total de produção por unidade.

A criação do AHSS é parte do plano ambiental “Nissan Green Program 2016”, que visa a redução, até o final do ano-fiscal 2016, de até 35% nos níveis de consumo de combustível de seus modelos, em relação aos valores de 2005. A empresa pretende ampliar, a partir de 2017, para até 25% do peso total por produto o nível de aplicação desse tipo de material em seus novos lançamentos.

Anúncios